Aviso aos navegantes deste blog

Prezados amigos, estive internado em hospital,em caráter de emergência,entre 04 de julho e 26 de julho de 2010.Durante esse período,fiquei impossibilitado de atualizar este tão querido blog. Além do mais,ao regressar à minha residência constatei que o meu PC também não estava funcionando a contento.Somente depois de sanados todos os problemas do computador, poderei ler as inúmeras mensagens recebidas e respondê-las.Meu estado de saúde melhora a todo momento, mas permaneço sendo submetido a hemodiálise , às 3as, 5as e sábados, por períodos de 4 horas.Procurarei mantê-los informados. Ótimas Notícias: 1.Depois de longo período inativo, nosso computador já está recuperado!!! 2.Apesar desse longo período de inatividade, o blog www.esperantoforadatoca.blogspot.com foi incluído no rol dos concorrentes que estão participando do concurso TopBlog2010,na categoria COMUNICAÇÃO( pessoal). Detalhe: na lista, em ordem alfabética, dos selecionados,procurar dentre os que começam com as letras "www". Prazo para votação :O período de votação do SEGUNDO TURNO pelo Júri Popular (Internauta) e avaliação pelo Júri Acadêmico é do dia 10/10/2010, às 02:00am até 10/11/2010, às 11:55pm horário de Brasília. Abraços do amigo de sempre Fernando J G Marinho

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Noticiário Esperantista (semana de 31/05 a 06/06/2009)

Fabiano Henrique

O adeus a um dos maiores esperantistas de todos os tempos

Abriu-se uma lacuna no movimento esperantista internacional. Faleceu, no último sábado, dia 30 de maio, o professor Sylla Chaves. O passamento aconteceu pouco depois do meio-dia, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. O corpo foi velado no domingo e cremado no dia seguinte, no Memorial do Carmo, no bairro do Caju.

Sylla Chaves, que iria completar 80 anos, era considerado um dos maiores mestres de esperanto de todo o mundo. Costumava afirmar que dominava o idioma auxiliar neutro quase da mesma forma que falava a língua portuguesa. Era membro-honorário da Associação Universal de Esperanto. Gerações de alunos estudaram segundo os inúmeros livros e discos didáticos produzidos por ele.

Tão logo a noticia da desencarnação foi divulgada, um clima de comoção tomou a comunidade esperantista. Mensagens de condolências foram remetidas de diversas partes do planeta. O presidente da Associação Universal de Esperanto, Probal Dasgupta, enfatizou o trabalho de Sylla Chaves como imortal da Academia de Esperanto. O presidente da Federação Italiana de Esperanto, Renato Corsetti, considerou que o prefácio do dicionário que ambos vinham escrevendo um verdadeiro testamento espiritual deixado por Sylla. No texto, o recém-falecido professor defende a manutenção da simplicidade da língua internacional, conforme enfatizara Lázaro Luís Zamenhof.

A última aparição pública de Sylla Chaves aconteceu no Encontro Estadual de Esperanto do Rio de Janeiro, nos dias 16 e 17 do mês passado. Já com a saúde debilitada, palestrou sobre a formação das palavras no idioma auxiliar neutro.

Possivelmente antevendo a proximidade do fim da vida, o professor manifestou o desejo de ser cremado. Queria que suas cinzas fossem depositadas junto a um pé de cambucá, na Fazenda Esperanto, imóvel pertencente à Cooperativa Cultural dos Esperantistas, situado em Bangu, na Zona Oeste carioca.



Sylla Chaves – dados biográficos

Sylla Magalhães Chaves nasceu em 1929, na cidade de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Era filho dos poetas e poliglotas Tullio e Zillah Chaves. Ainda criança, por volta de 1937, transferiu-se, com toda a família, para o Rio de Janeiro.

Segundo contava, foi aos sete anos de idade que conheceu o esperanto, tendo aprendido o idioma por meio dos livros de sua irmã Marília. Desde então, decidiu aprofundar-se nos estudos da língua criada por Lázaro Zamenhof. Em 1946, visitou a Liga Brasileira de Esperanto, localizada, nessa época, no Rio de Janeiro. Dedicou-se, durante todo esse ano, com tal afinco, que foi aprovado pelo rigoroso professor Porto Carreiro Neto, fazendo jus ao diploma de “professoro aprobita”.

Em 1954, Sylla Chaves formou-se em Direito pela atual UFRJ. Fez mestrado de Comunicação na Universidade de Stanford (EUA), Ciência Política na Universidade de Paris e Pedagogia Cibernética na Universidade de Paderborn (Alemanha). No campo profissional, trabalhou no secretariado da ONU, em Nova Iorque, e no da UNESCO, em Paris. Ensinou, por mais de 40 anos, comunicação social e disciplinas correlatas na Escola de Administração Pública da Fundação Getulio Vargas, por onde se aposentou.

Extremamente respeitado no meio esperantista, Sylla Chaves foi presidente da Liga Brasileira de Esperanto, entre os anos de 1978 e 1982. Foi igualmente membro da Academia Internacional de Ciências de San Marino e da Academia Internacional de Esperanto. Em 1992, foi eleito membro-honorário da Associação Universal de Esperanto (UEA).

Gerações de alunos estudaram segundo os inúmeros livros e discos didáticos produzidos por ele. Entre suas obras mais conhecidas estão o LP O Brasil Canta por um Mundo Melhor (1970), Brazila Esperanta Parnaso (2007) Oportuna Poŝvortaro (2008) e o curso Aŭdu kaj Lernu, cuja versão radiofônica é apresentada há alguns anos pela Rádio Rio de Janeiro. Nos últimos tempos estava a elaborar um dicionário de esperanto, em conjunto com outros renomados mestres da matéria.

Homem de hábitos simples, Sylla Chaves tinha personalidade forte, evidenciada quando habitualmente defendia com veemência seus pontos de vista. A par disso, era generoso no trato pessoal, tendo espalhado inúmeros exemplos de verdadeira caridade material e moral. No campo internacional, o reconhecimento à sua obra deu-se em 1991, na cidade de Bergen, na Noruega, quando foi agraciado com o prêmio Onisaburo Deguchi, por sua obra esperantista em prol da paz e da felicidade humana.


Esperantistas organizam jantar festivo em Niterói

Está marcado para o dia 25 de junho o jantar festivo do Niterói Esperanto Clube (NITEK). Na ocasião, serão homenageados os aniversariantes do semestre. O evento terá lugar no restaurante La Mole, no andar térreo do Plaza Shopping. Informações e reservas com Walter Fontes, pelo telefone (21) 9919-5359.



Mais uma biblioteca recebe livros de esperanto



A Assessoria de Comunicação da Cooperativa Cultural dos Esperantistas anunciou a remessa de mais um pacote de livros a uma instituição pública. Desta vez, a contemplada foi a Biblioteca Popular Municipal Pedro Nava, situada na Glória, na Zona Sul carioca. Remeteram-se dez obras didáticas e literárias relativas à língua internacional neutra. A iniciativa insere-se na campanha O Esperanto nas Bibliotecas. Desde julho de 2001, foram doados mais de 900 livros a 71 entidades brasileiras e 11 estrangeiras.


Site divulga calendário esperantista


A agência noticiosa Eventoj mantém, na internet, o calendário internacional de atividades ligadas ao esperanto. A página, em funcionamento desde 1995, apresenta informações de todos os países onde há inciativas públicas em prol da língua auxiliar neutra. Os internautas podem enviar notas, a fim de enriquecer a agenda. // O calendário encontra-se no endereço www.eventoj.hu.


Aproxima-se o Congresso Escocês de Esperanto


Começa, na próxima sexta-feira, o 104º Congresso Escocês de Esperanto. As atividades terão lugar na cidade de Dundee. O encerramento do evento está marcado para o domingo.


Desunião prejudica o esperanto na Hungria


O Departamento de Esperanto da Universidade de Budapest, na Hungria, fechou as portas. Há alguns anos já não eram aceitos novos alunos. O encerramento das atividades da unidade é creditado a um corte de verbas. A fundação norte-americana Esperantic Studies Foundation tentou enviar ajuda financeira. Entretanto, conflitos internos do movimento esperantista húngaro inviabilizaram a iniciativa.

Um comentário:

Galera do Marulo disse...

Para saber um pouco mais sobre Sylla Chaves, recomendo a leitura do depoimento que ele deixou registrado em 5 de abril de 1995 no livro "Não só Idealistas mas Realizadores". O citado depoimento acha-se transcrito no excelente site da Cooperativa Cultural dos Esperantistas, sob o título " O Esperanto e Eu" ( http://www.kke.org.br/dossie/o_esperanto_e_eu ).
Fernando J G Marinho